Compartilhe e espalhe coisas boas!

Conheça a história do Blues e alguns de seus grandes expoentes

Origem

Ainda no século XIX, o blues tem suas origens nos Estados Unidos. Mas se engana quem pensa que o blues é um som americano. O mais correto é caracterizá-lo como um produto da africana presente no país naquela época. O blues nasceu entre os escravos da região do alabama, Mississipi, Louisiana e Georgia que faziam terríveis jornadas de trabalho nas plantações de algodão. Em resumo, o blues foi o resultado da música africana moldada ao frio e a dor da escravidão nos Estados Unidos.

O que é o blues?

O blues é uma forma musical vocal/instrumental fundamentada no uso de notas tocadas/cantadas numa frequência baixa (12-bar bluesblue notes), com fins expressivos, evitando notas da escala maior, utilizando sempre uma estrutura repetitiva.

Suas raízes musicais remetem aos cantos de fé religiosa, conhecidas como spirituals e de outras formas similares, tais como os  gritos e canções de trabalho cantados pelas comunidades dos escravos libertos, com forte raiz estilística na África Ocidental.  Suas letras e poesias tratavam de aspectos populares, tais como amor, trabalho, traição, religião e sexo, além de muitas vezes incluir sutis sugestões ou protestos contra a escravidão.

O blues exerce um grande influência na música popular ocidental, sendo considerado um dos pais de diversos estilos musicais como Jazz, Rhythm and Blues, Rock and Roll, Country, Soul music, além de ter influenciado o pop convencional e até a música clássica contemporânea.

Gostei! Por onde eu começo?

Antes de começarmos a falar sobre músicos e músicas é preciso esclarecer dois termos:

Delta Blues – Um dos pioneiros estilos do blues. Foi originado na região do delta do Rio Mississippi, por isso o nome “Delta”

Boogie Blues – Caracterizando-se pelo movimento sincopado e cadencial e orientado pela simplicidade de compasso, o Boogie Blues é uma forma de movimento rítmico, advindo das raízes do blues.

Agora um pouco mais explicado, vamos aos músicos que você deve conhecer:

B.B. King – Rock Me, Baby

 Nós já falamos de B.B. King aqui. B.B. King foi um dos mais influentes e marcantes bluesman da história. Junto da inseparável “Lucille”, a guitarra, B.B. King mudou a história da música mundial.

Johnny Shines – Ramblin’

Dono de uma potente voz e de espetaculares solos de guitarras, Johnny Shines foi um dos expoentes do blues de Chicago.

Mississippi John Hurt – You Got To Walk That Lonesome Valley

John Smith Hurt foi um grande influenciador de gêneros como Country e bluegrass. Durante sua juventude, Hurt dividiu seu tempo entre trabalhos braçais em fazendas e tocando músicas para amigos e em bailes. Mississipi foi adicionado seu nome posteriormente para alavancar as vendas de seus discos.

Buddy Guy – Five Long Years

Junto com Johnny Shines, Buddy Guy é considerado um dos pais do blues de Chicago. Sua guitarra marcante foi uma forte influência para o lendário Jimi Hendrix.

Sonny Boy Williamson – Keep It To Yourself

Sonny Boy Williamson foi o homem responsável por transformar a gaita em um dos instrumentos mais importantes do blues. Ele marcou a história do gênero por seu blues cadenciado, letras provocantes e, claro, inesquecíveis solos de gaita.

Robert Johnson – Crossroad Blues

Reverenciado por Eric Clapton como “o bluesman mais importante que já viveu”, Johnson foi um lendário e polêmico cantor de Delta Blues. O mito de Robert Johnson se tornou tão grande que em certo momento começou-se a espalhar a lenda d que Johnson vendera sua alma ao diabo na encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississippi, em troca da proeza para tocar guitarra.

Johnny Winter  – Be Careful With a Fool

Ao ler esse artigo até aqui provavelmente ficou claro que o blues é um gênero dominado por negros. Não é para menos, essa é a raiz do estilo! Mas assim como todos os outros gêneros, o blues também ultrapassa questões étnicas e demográficas, afinal, música se trata de alma. E alma de bluesman não faltava em Johnny Winter. Apesar de ser um texano albino e vesgo, Winter se consagrou no blues por suas habilidades fenomenais na guitarra e por quebrar paradigmas com seus solos poderosos.

Howlin’ Wolf – Spoonful

Considerado como um dos mais eletrizantes cantores da história do blues, Howlin’ Wolf era dono de uma voz áspera e rouca e de presença impossível de não ser notada. O historiador Bob Santelli o descreveu da seguinte forma: “Wolf agiu por um blues potente, tornando-se a encarnação viva de suas forças mais poderosas”.

Muddy Waters – Manish Boy

Muddy Waters foi um dos mais importantes bluesman do mundo. teve um papel decisivo na difusão do Delta Blues pelo mundo e sua influência alcançou artistas consagrados como Mick Jagger, Eric Clapton e Jimmy Page.

Manish Boy  é a versão de Waters do hit “I’m a Man” de Bo Didley. A música logo tornou-se um clássico do rock e foi regravada, mais tarde, pelo Rolling Stones.

Elmore James – Dust My Broom

Considerado o “rei da guitarra slide” (forma de tocar guitarra em que se utiliza no dedo anular ou minimo um pequeno tubo oco e cilíndrico), James Elmore tinha um estilo instrumental singular e consagrou-se pelo uso de amplificação em volumes elevados e por sua voz cativante.

Helen Humes – They Raided The Joint

Embora o blues tenha sido por muito tempo um gênero mais tocado por homens, a história desse estilo também recebeu as honrarias de ter admiráveis e e talentosas blueswoman. entre elas, Helen Humes. Embora sua carreira tenha realmente decolado no Jazz, Humes começou a mostrar seus talentos no blues. Sua voz poderosa e inquestionável ajudou a definir o balanço vocal das próximas gerações do blues e jazz.

Claro, se fosse citar todas as lendas do blues esse post ficaria imenso, então espero que esses onze te inspirem em procurar e ouvir outros hits e cantores desse maravilhoso e melancólico gênero.

[Este post foi inspirado no excelente post feito pelo Papo de Homem]

Compartilhe e espalhe coisas boas!