Compartilhe e espalhe coisas boas!

Programa de inteligência cognitiva permite que visitantes façam perguntas e explorem sete obras de arte

Que tal visitar um museu e poder interagir com as obras, fazendo perguntas livres e recebendo respostas completas, com curiosidades e informações históricas contextualizadas? Esta é a proposta da exposição “A Voz da Arte”, realizada em uma parceira entre a IBM Brasil e a Pinacoteca de São Paulo. O projeto, que utiliza computação cognitiva, conta com um assistente, o Watson, criado pela companhia, que responde às perguntas dos visitantes sobre sete obras de arte do acervo da Pinacoteca. Confira o vídeo:

Muito legal, não é mesmo? A interação com o Watson é bem intuitiva: o visitante recebe um smartphone com um fone de ouvido. No aparelho está instalado um aplicativo do projeto. Ao caminhar pelo museu os visitantes recebem uma notificação ao se aproximarem das obras interativas e são estimulados a fazer perguntas sobre elas. Deficientes auditivos podem participar da experiência por meio de troca de mensagens de um chat.

A proximidade dos visitantes diante de uma obra interativa é identificada por meio de Beacons, sensores bluetooth de geolocalização que interagem com os smartphones (fizemos uma matéria recente sobre o assunto, você pode saber mais sobre os beacons clicando aqui). O aplicativo instalado no celular é um chatbot cognitivo que utiliza sistema de voz e de entendimento da linguagem humana por meio de serviços de inteligência artificial da IBM, que estão na plataforma em nuvem IBM Bluemix. O sistema foi desenvolvido pela IBM Brasil e treinado em parceria com curadores da Pinacoteca.

Basicamente, o Watson gera uma hipótese e trás tanto a resposta como o nível de confiança para dá-la. E então, o Watson mostra os passos que ele tomou para chegar a essa resposta, como se ele estivesse raciocinando. O sistema de inteligência artificial aprende de acordo com as interações que são feitas com ele. Há modalidades que já estão sendo utilizadas na área de diagnósticos médicos e de finanças. Pesquisadores também podem utilizar suas funcionalidade como auxílio para destrinchar milhares de dados e encontrar informações úteis. Saiba mais sobre o Watson no vídeo a seguir.

 

Compartilhe e espalhe coisas boas!